Revendo as Gerências Estaduais Cnbvn Slideshow: Corrente’s trip to 25 cities including São Paulo was created with TripAdvisor TripWow!

Fique Ligado

segunda-feira, 18 de maio de 2009

O Projeto De Uma Grande Nação

      Diário do Professor , olá !


  Quando os habitantes , de uma região territorial , adquirem a consciência social , pode ser criada uma Povoação ! Portanto , qualquer Comunidade é fundamentada na consciência social de seus membros .
  Ao se expandir e se consolidar , Povoação torna-se uma Nação ( Território + Povo ) !
  Uma Grande Nação é aquela que permite ao seu Povo viver decentemente , em harmonia com o meio ambiente e ter progresso social sustentável .

  O Projeto de Uma Grande Nação tem que ser fundamentado no aprimoramento da consciência social de sua população , com ênfase às novas gerações ( que serão as responsáveis pela continuidade do Projeto ) .
  Na sequência , uma relação de Programas Governamentais que , em conjunto , permitirão o início deste Projeto :
  1.  Conscientizar a opinião pública da seriedade e da responsabilidade de se gerar e se criar um filho(a);
  2.  Programa de Assistência Social Pré-Nupcial;
  3.  Programa de Assistência Social , Medicinal , Alimentar e Monetária do Pré-Natal ao Término do Aleitamento Materno;
  4.  Programa de Assistência Social, Medicinal, Alimentar, Monetária e Educacional até a criança iniciar do primeiro grau escolar;
  5.  Programa de Manutenção Escolar até o término do segundo grau e
  6.  Programa de Crédito Educativo para a complementação dos estudos.

  É lógico que os profissionais, diretamente responsabilizados pela execução destes programas, receberão um determinado abono, que lhes permitam exercer dedicação exclusiva !
  Atenção especial à formação dos novos profissionais que substituirão os profissionais implantadores do Projeto !

  Para terminar , afirmo que tal Projeto depende fundamentalmente da Vontade Política e , como no Brasil não existe político para tal , sugiro que a parcela populacional consciente faça algo para reestruturar o Sistema Eleitoral Político e, assim, impedir que venham existir candidatos políticamente desqualificados aos cargos almejados !
  Um Povo Unido Jamais Será Vencido !

  Abraços à todos !
     Somel Serip .
correntenacionalista@gmail.com

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Comentário em IdeaFixa

IdeaFixa , olá !
Pena que só estejam duas das noventa e cinco fotos anunciada ( propaganda enganosa ? )
Com relação às duas fotos apresentadas , deixam transparecer a falsidade da tomada (notar que não foi nenhum "instantâneo") , talvez por isto , é que alguns comentaram ser propaganda ou indicar pedofilia ! Creio que ele estivesse sentindo alegria porém , como se tratava de uma pose , a coisa ficou forçada ( sem espontaneidade ) !
Gostaria que o Guering se estendesse mais nos relatos de sua avó ! Afinal é "história viva" que me fortaleceu o antigo conceito que tenho sobre a pessoa dita do mal : qualquer pessoa considerada maldosa , sempre tem uma justificativa para estar fazendo o que os outros consideram maldade e , tem mais , ele se considera uma pessoa boa para aos que ele gosta e faz questão de demonstrar isto ! Na realidade sempre haverá algo de bom ( e de ruim ) em todos nós !
O Nejain Allex Pinna de F. , é um judeu muito bem equilibrado , penso que ele considere como fatalidade as perdas que teve aos seus 6 anos ( "quem está na chuva é para se molhar" ) . O Nejain tem consciência que " o Mundo foi o culpado e , por isto , não demonstra possuir a revolta fanática que o seu povo judeu não quer esquecer ! Não sei se é verídico , mas escutei que o Hitler , quando criança , acidentalmente , perdeu parte do seu pênis ( a glande ) ! Como ele era judeu ( ! ) e , logicamente , ao nascer por ter sido circuncidado ( desprovido do prepúcio que serve de proteção à glande ) talvez tenha adquirido um trauma com relação à cultura judaica ! Na realidade , a ganância pelo poder , historicamente , sempre provoca algum tipo de massacre ao povo considerado "inimigo" e sempre existe uma boa justificativa para tal !
Aqui , no Brasil , os Tamoios foram dizimados pelos colonizadores portugueses ! ( os franceses tinha feito amizade com aquela tribo )
No Iraque , massacraram o povo e o Saddan Hussein foi assassinato pois o petróleo estrangeiro tem que ficar disponível para não sacrificar as reservas USA .
O que os USA fizeram com Cuba é o mesmo que fizeram com a Alemanha após a 1ª Guerra Mundial , só que o povo não é do mesmo tipo !
O que Israel faz na faixa de Gaza ( massacre ) é "justificável" já que os árabes atacam com pedras o muro da divisa !
É por tudo isto que digo : eu sou bonzinho até que eu não me sinta em perigo de vida ! Este papo é inesgotável .
Abraços á todos !
Somel Serip .

sábado, 9 de maio de 2009

Critica Enviada ao Jornal Nacional / Globo

Jornal Nacional , olá !

Hoje ( 09/05/2009 , às 20:30 hs ) , a reportagem mostrou um tomada externa , onde um médico se prepara para o atendimento numa unidade provida de Pressão Atmosférica Negativa .

Após lavar convenientemente suas mãos , o "exemplar" médico coloca sua máscara de proteção ocular ( que não é descartável e que possui elástico perfeitamente contaminável ) !

Na realidade , nos procedimentos hospitalares , os equipamentos são utilizados para proteger os próprios atendentes e esta é a razão do aumento das infecções hospitalares !Se não concordam , vejamos : Já que esta máscara está contaminada ( o elástico de sustentação é altamente contaminável ) o procedimento correto , neste caso , é após colocar este EPI , o profissional lavar as mãos , concordam ?

Abraços à todos !

Somel Serip .

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Comendário efetuado no blog da Mirian Farah

Mirian Farah , olá !
Aqui tem abundante paixão , muita inteligência e ótima diversão , parabéns !
Convido todos que estejam revoltados com essa corja de políticos desqualificados e que sempre anulam seus votos , à formarem uma corrente de votos nulos até que ocorra uma radical reestruturação no Sistema Eleitoral Político - SEP , aprovada popularmente em referendo específico !
Aos que puderem participar no desenvolvimento do projeto popular de diretrizes objetivando a reestruturação do SEP , peço acessarem a Corrente Nacionalista Brasileira de Votos Nulos - CNBVN ( correntenacionalista@googlegroups.com ) .
Abraços à todos !
Somel Serip .
somelserip@gmail.com

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Participaçâo Brasil Ponto a Ponto Ponto

O que é necessário para melhorar a vida dos brasileiros ?A mídia induzindo conscientização ao povo em relação aos temas : higiene ; comunidade ; social ; responsabilidade em gerar , ter ou criar filho(a) e como participar das ações governamentais pertinentes.
Estas Ações : educação familiar ; assistência social , alimentar , médica e monetária ao casal do pré-natal ao pré-educacional; salário mantedor ao longo da formação escolar gratuita.
Remunerar o Professor e o Médico para dedicação exclusiva.
Reestruturação do Sistema Eleitoral Político para só permitir candidatos qualificados politicamente !

Como toda mudança para melhorar necessita , fundamentalmente , de vontade política , só a Reestruturação do Sistema Político Eleitoral Brasileiro poderá iniciar as melhoras nos tópicos básicos que induzirão a melhoria no todo !
A candidatura à determinado mandato político só seria aceita para quem tiver qualificação política certificada por Curso Especializado em Política exigido para o respectivo cargo político almejado!
Com Diploma de Formação Política haverá a Ética Política que hoje não existe!
Somel Serip e Camarão Tricolor

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Série de Reportagens sobre Contaminação

Bom Dia Rio , olá !
Creio que seja importante indicar algumas situações de risco contagioso para que o povo fique consciente do que pode lhe prejudicar a saúde !
A razão desta sugestão é o pequeno grau de instrução que a maioria da nossa população possui e , como a mídia é formadora de opinião , tais "imagens" poderão permanecer na consciência dos telespectadores e , assim , poder minimizar , ou até mesmo , eliminar tais condições de risco à saúde !
Como exemplos do que poderia ser focado , indico :
o hábito de assoar o nariz com a mão vazia , lançando a secreção ao chão
e depois limpar a mão na vestimenta ( ou em poste / corrimão / parede ) finalizando o ato , esfregando o nariz na manga da camisa ou na gola ;
o comerciante coloca suas mãos em contacto com contaminantes ( vassouras , garrafas , dinheiro , botijão de gás etc ) e , sem lavar as mãos e nem usar luvas , prepara um "delicioso" sanduiche de queijo cortado à faca no momento ;
uma pessoa , logo após telefonar no orelhão , coça seus olhos com os dedos sujos ;
estacionado defronte à pastelaria do china , o caminhão de entrega da cana de açúcar ( já descascada ) está com um dos entregadores em pé sobre a carga , pegando a parte à ser entregue ao comerciante que , por sua vez , já passa na moenda algumas das peças entregues , extraindo um "suculento caldo de cana ao gelo quebrado" ;
próximo ao banco da pracinha , um aposentado atrai uma revoada de pombos ao lançar milho em seu redor ! Ele se diverte muito e senta-se para apreciar a cena sem notar que o banco e redondezas estão imundos com os dejetos daqueles seu amiguinhos ;
um comerciante "limpa" a máquina fatiadora de frios com o mesmo pano utilizado na "limpeza" do seu balcão ;
um odontologista utilizando luvas , ao estar realizando o tratamento dentário do seu cliente , vai atender uma ligação telefônica sem retirar as luvas . Após informar que no momento não poderia tratar do assunto , desliga o aparelho e reinicia o procedimento dentário tendo as mesmas luvas ( o mesmo pode ser alertado com relação ao uso de canetas , óculos , agendas , abertura de portas etc ) e
uma maternidade , localizada no declive de rua ( Gal. Argolo ) , coloca o seu lixo em sua calçada , para ser recolhido por empresa especializada em lixo hospitalar . Ocorre que o local , onde rotineiramente é posto esse lixo , é "lavado" sempre que chove e , essas águas de lavagem escorrem nas proximidades do acesso ao atendimento hospitalar assim , nestas ocasiões , o transito das pessoas , além de manchar , contamina o piso hospitalar . Outro aspecto é que nas proximidades do local onde é recolhido o lixo , são entregues as mercadorias destinadas ao consumo alimentar hospitalar !
Informo que desde já , que autorizo a execução parcial ou total desta minha sugestão pois nela não existe nenhum interesse autoral de minha parte .
Caso vocês aproveitem algo do que aqui foi apresentado , peço que nas tomadas cinematográficas , ao fundo , não estejam os seus "fregueses" , que rotineiramente adoram aparecer , ao fundo na telinha da Globo ! Estes palhaços , logicamente , são diariamente informados do local onde irá ocorrer a reportagem externa !
Abraços à todos vocês !

Somel Serip .
somelserip@gmail.com

sábado, 11 de abril de 2009

Aposentadoria Especial (informações superficiais)

Aposentadoria Especial
Benefício concedido ao segurado que tenha trabalhado em condições prejudiciais à saúde ou à integridade física. Para ter direito à aposentadoria especial, o trabalhador deverá comprovar, além do tempo de trabalho, efetiva exposição aos agentes físicos, biológicos ou associação de agentes prejudiciais pelo período exigido para a concessão do benefício (15, 20 ou 25 anos).

A comprovação será feita em formulário do Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP), preenchido pela empresa com base em Laudo Técnico de Condições Ambientais de Trabalho (LTCA), expedido por médico do trabalho ou engenheiro de segurança do trabalho.

Cooperativas de produção deverão elaborar o Perfil Profissiográfico Previdenciário dos associados que trabalham em condições especiais de acordo com a IN/INSS/DC nº 087/03. Cooperativas de trabalho terão que elaborar o PPP com base em informações da empresa contratante.

O PPP, instituído pela IN/INSS/DC nº 090/03, incluirá informações dos formulários SB-40, DISES BE - 5235, DSS 8030 e DIRBEN 8030, que terão eficácia até 30 de outubro de 2003. A partir de 1º de novembro de 2003, será dispensada a apresentação do LTCAT, mas o documento deverá permanecer na empresa à disposição da Previdência Social.

A empresa é obrigada a fornecer cópia autêntica do PPP ao trabalhador em caso de demissão.

Para ter direito ao benefício, o trabalhador inscrito a partir de 25 de julho de 1991 deverá comprovar no mínimo 180 contribuições mensais. Os inscritos até essa data devem seguir a tabela progressiva. A perda da qualidade de segurado não será considerada para concessão de aposentadoria especial, segundo a Lei nº 10.666/03.

O segurado que tiver exercido sucessivamente duas ou mais atividades em condições prejudiciais à saúde ou integridade física, sem completar o prazo mínimo para aposentadoria especial, poderá somar os referidos períodos seguindo a seguinte tabela de conversão:

Tempo a converter Multiplicadores
Para 15 Para 20 Para 25
de 15 anos - 1,33 1,67
de 20 anos 0,75 - 1,25
de 25 anos 0,60 0,80 -

A conversão de tempo de atividade sob condições especiais em tempo de atividade comum dar-se-á de acordo com a seguinte tabela:

Tempo a Converter Multiplicadores
Mulher (para 30) Homem (para 35)
de 15 anos 2,00 2,33
de 20 anos 1,50 1,75
de 25 anos 1,20 1,40

Observação

A caracterização e a comprovação do tempo de atividade sob condições especiais obedecerá ao disposto na legislação em vigor na época da prestação do serviço. As regras de conversão de tempo de atividade sob condições especiais em tempo de atividade comum constantes deste artigo aplicam-se ao trabalho prestado em qualquer período. (incluído pelo DECRETO Nº 4.827 - DE 3 DE SETEMBRO DE 2003)

Como requerer a aposentadoria especial

Segurado (a) empregado (a)/desempregado (a)
Segurado (a) trabalhador (a) avulso (a)
Pagamento
Valor do Benefício
Perda da qualidade de segurado
Tabela progressiva de carência
Dúvidas freqüentes sobre
Categorias de segurados
Dependentes
Carência
Legislação específica
Lei no 8.213, de 24 de julho de 1991
Lei nº 10.666, de 8 de maio de 2003
Instrução Normativa/INSSEMDC nº 87 de 27/03/2003
Instrução Normativa/INSSEMDC nº 90 de 16/06/2003
Fonte: Ministério da Previdência Social

quinta-feira, 19 de março de 2009

Pesquisa no G1.com

Imprima o guia da reforma ortográfica
G1 já adotou as novas regras, que valem desde 1º de janeiro.
Sugestão: cole o guia na agenda ou deixe-o ao lado do computador.
Do G1, em São Paulo

Imprima esta página ou, se preferir, baixe aqui o guia para impressão (o arquivo está em pdf e ocupa uma página no formato A4). O G1 já adotou as novas regras.

No dia 12 de janeiro, a Academia Brasileira de Letras (ABL) divulgou novas definições sobre o uso do hífen. Veja o arquivo aqui (ele está em pdf) ou acesse as mudanças diretamente aqui.


Trema – desaparece em todas as palavras
Antes/Depois
Freqüente, lingüiça, agüentar/Frequente, linguiça, aguentar
* Fica o acento em nomes como Müller

Acentuação 1 – some o acento dos ditongos abertos éi e ói das palavras paroxítonas (as que têm a penúltima sílaba mais forte)
Antes/Depois
Européia, idéia, heróico, apóio, bóia, asteróide, Coréia, estréia, jóia, platéia, paranóia, jibóia, assembléia/Europeia, ideia, heroico, apoio, boia, asteroide, Coreia, estreia, joia, plateia, paranoia, jiboia, assembleia
* Herói, papéis, troféu mantêm o acento (porque têm a última sílaba mais forte)

Acentuação 2 – some o acento no i e no u fortes depois de ditongos (junção de duas vogais), em palavras paroxítonas
Antes Depois
Baiúca, bocaiúva, feiúra Baiuca, bocaiuva, feiura
* Se o i e o u estiverem na última sílaba, o acento continua como em: tuiuiú ou Piauí

Acentuação 3 – some o acento circunflexo das palavras terminadas em êem e ôo (ou ôos)
Antes Depois
Crêem, dêem, lêem, vêem, prevêem, vôo, enjôos Creem, deem, leem, veem, preveem, voo, enjoos

Acentuação 4 – some o acento diferencial
Antes Depois
Pára, péla, pêlo, pólo, pêra, côa Para, pela, pelo, polo, pera, coa
* Não some o acento diferencial em pôr (verbo) / por (preposição) e pôde (pretérito) / pode (presente). Fôrma, para diferenciar de forma, pode receber acento circunflexo

Acentuação 5 – some o acento agudo no u forte nos grupos gue, gui, que, qui, de verbos como averiguar, apaziguar, arguir, redarguir, enxaguar
Antes Depois
Averigúe, apazigúe, ele argúi, enxagúe você Averigue, apazigue, ele argui, enxague você
Observação: as demais regras de acentuação permanecem as mesmas

Hífen – veja como ficam as principais regras do hífen com prefixos:
Prefixos Usa hífen Não usa hífen
Agro, ante, anti, arqui, auto, contra, extra, infra, intra, macro, mega, micro, maxi, mini, semi, sobre, supra, tele, ultra... Quando a palavra seguinte começa com h ou com vogal igual à última do prefixo: auto-hipnose, auto-observação, anti-herói, anti-imperalista, micro-ondas, mini-hotel Em todos os demais casos: autorretrato, autossustentável, autoanálise, autocontrole, antirracista, antissocial, antivírus, minidicionário, minissaia, minirreforma, ultrassom
Hiper, inter, super
Quando a palavra seguinte começa com h ou com r: super-homem, inter-regional
Em todos os demais casos: hiperinflação, supersônico
Sub Quando a palavra seguinte começa com b, h ou r: sub-base, sub-reino, sub-humano Em todos os demais casos: subsecretário, subeditor
Vice
Sempre:
vice-rei, vice-presidente

Pan, circum Quando a palavra seguinte começa com h, m, n ou vogais: pan-americano, circum-hospitalar Em todos os demais casos: pansexual, circuncisão
Fonte: professor Sérgio Nogueira


As novas regras ortográficas estão valendo desde o dia 1º de janeiro de 2009. De acordo com o decreto assinado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, até 2012 valem as duas formas de escrever: a antiga e a nova. No Ano Novo começa o chamado “período de transição”. Portugal, que também aprovou o acordo ortográfico, adotará as novas regras até 2014.

O guia acima traz as mudanças que já estão definidas. Ainda há exceções - por exemplo, no uso do hífen - que deverão ser discutidas entre as Academias de Letras dos países que falam a língua portuguesa. Espera-se que a Academia Brasileira de Letras organize um vocabulário até fevereiro de 2009.

Vale lembrar que o que muda é a grafia. Ou seja, nada de pronunciar “lin-gui-ça”. A fala continua a mesma, mesmo sem os dois pontinhos em cima do “u”.

sábado, 14 de março de 2009

Comentário Realizado no "Diário do Professor"

Declev Reynier Dib-Ferreira , olá !
Falando sobre árvores , "cortar o mal pela raiz" , no caso da educação do povo brasileiro , digo mais - temos que : selecionar a semente , esperar a época mais apropriada ao plantio , montar uma sementeira com bom substrato , semear , cuidar da muda , preparar o terreno , transplantar a muda , colocar o tutor para protege-la dos ventos ( pau que nasce torto , morre torto ! ) e acompanhar seus primeiros meses ( averiguar ocorrência de pragas ou predadores , adubar , podar etc ) .
Pois é , Declev , neste nosso País onde qualquer safado consegue se candidatar à ser político ( e consegue ! ) , o que tem que ser feito nunca será pois quanto menos consciência mais fácil é a permanência no poder dessa máfia política !
O orçamento da propaganda governamental poderia ser aplicado na divulgação de situações que induzissem ao povo melhores procedimentos de vida . Por exemplo : a campanha " se beber não dirija !" não está sendo formadora de opinião ? - o mesmo pode ser para "só faça filho que puder criar" ! Concorda ?
Lógico que muito tem que ser feito : planejamento familiar , assistência pré-natal ( médica , alimentar , educacional e monetária ) , assistência social ( idem,..,idem) até completar o pré-escolar e , por fim , expandir para esta nova geração ( e para as 20 seguintes ) o programa assistencial . Um novo povo brasileiro estaria preparado para fazer desta uma grandiosa Nação !
Lógico que aos profissionais diretamente envolvidos teriam que ser dignamente remunerados para permitir dedicação exclusiva neste projeto .
Abraços à todos !
Somel Serip .
somelserip@gmail.com

quarta-feira, 11 de março de 2009

Comentario Efetuado no Diário do Professor

Declev Reynier Dib-Ferreira , olá !
A notícia , divulgada na Globo , de quem já adoeceu com um tipo da Dengue fica imune à este tipo , pode fazer com que as pessoas não mais eliminem os possíveis focos do mosquito ! Afinal , estamos falando da população brasileira …
Neste começo de 2009 , março , divulgam que a secretaria estadual do Rio de Janeiro vai enviar uma comitiva de técnicos à Bahia , para ajuda-los ( ensina-los ) ! Isso porque , na cidade do Rio de Janeiro , ocorreu uma redução de quase 90% em relação ao ano passado nos registros de Dengue ! Pura politicagem .
Lógico ! Se uma enorme parte da população local já adquiriu esta doença a tendência é diminuir o índice local de transmissão !
Em relação à utilização das iscas que utilizam a luz ultra-violeta para atrair insetos , sou contrário coloca-las ao nosso acesso visual , pois essa irradiação prejudica a nossa visão !
Abraços à todos !
Somel Serip .

somelserip@gmail.com

domingo, 18 de janeiro de 2009

Comentário não Enviado ao Globo Rural ( não foi possível )

A mídia possui enorme influencia sobre a população brasileira ( a grande maioria é maria vai com as outras )!
Não cabe ficar justificando que o surgimento do desemprego no Brasil é culpa da queda do "Império USA"! A culpa recai sobre nós mesmo , pois sempre quisemos ser dependentes de alguém . Temos que planejar novos rumos e prepararmos para tal !
No programa de hoje ( 18/01/2009 ), no Vale do São Francisco , a reportagem divulgou as milhares de demissões na lavoura de uva justificada pela tal "Crise Econômica Internacional" e nos comentários finais foi dito : vamos esperar que depois do dia 20 , com a posse de Obama , as coisas melhorem já que foi nos USA que a crise iniciou ! Isso é falsa expectativa , pois o sistema Exploratório capitalista está falido pois o Planeta não mais suporta o atual tipo de industrialização !
Na reportagem referida , o que deveria estar contido seria a resposta do por quê o excesso da produção de uvas não é convertido em vinho , para posterior comercialização : isto é que é empreendimento produtivo !
Já na parte das catadoras de Mangaba , por que não foi arguido o motivo pelo qual elas não tem o hábito de plantar algumas mudas todas as vezes que elas vão catar os frutos ? No mínimo seria uma forma de conscientiza-las da sua responsabilidade ambiental !
Somel Serip.
somelserip@gmail.com

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Covardia da Corrupção Governamental

A todos , olá !
É muito duro , a gente ter consciência neste nosso pobre Brasil !
Existe uma lei que nunca pode um curso d'água impedir o acesso da fiscalização das Capitanias dos Portos ! Ou seja , um curso navegável de uma hidrovia não pode ter o seu acesso interrompido por uma obra , pois a fiscalização tem que ser exercida pela Capitania dos Portos seja onde houver o transporte hidroviário !
Portanto , quando  uma Usina Hidrelétrica é interposta numa via hidroviária, o fluxo da navegação tem que ser reestabelecida através de um sistema de Eclusagem . Que em si é um sistema elevatório de embarcações para permitir a continuidade do transporte hidroviário .
Estou revoltado , pois estou consciente de que os interesses do "império" interferem eficazmente nas ações governamentais, relativas à infra-estrutura de transporte, impedindo que a logística para a exportação da produção agrícola, no celeiro mundial ( Mato Grosso e Goiás ) seja o Transporte Hidroviário, com rumo Norte, através das bacias hidroviárias : Tocantins-Araguaia ; Xingu ; Tapajós e Madeira.
 Na Bacia Tocantins-Araguaia, o Transporte Hidroviário, das Commodities produzidas no Centro-Oeste brasileiro,  ficou INSUSTENTÁVEL ao ser interrompido pela construção da Barragem Hidrelétrica de Tucuruí ( rio Tocantins ) ! No Brasil, foram feitos os estudos, em Modelo Reduzido, do Sistema com duas Eclusas - Montante e Jusante - para a Transposição do desnível de 78 metros causado pelo barramento . Mas só ficou construída, a Cabeça da Eclusa de Montante !
O filé minhon , Geração de Energia Elétrica, foi implantado e o sistema para a transposição do desnível foi interrompido criminosamente !

Muitas outras barragens, foram e são concretizadas, sem oferecerem os meios necessários, para que a provável navegação, que lhes tiver acesso, possa transpor os desnível d'água que respectivamente criaram.

Com isso engessam o progresso que o nossa Pátria possa vir a ter ! É ou não é um ato criminoso ?

Tudo isto porque soube que um empresário detentor da concessão do transporte hidroviário foi obrigado a interromper o seu serviço de transportador ( acarretando muitas demissões nesta atual crise económica ) pois está sendo perseguido por , talvez , não querer colaborar com propinas , acarretando inúmeras multas pois exigem dele que o comboio seja desmembrado para que ultrapasse uma determinada ponte rodoviária.

É tal o cúmulo , que colocaram alguém , talvez , acampado nas proximidades da ponte para ficar contando as vezes que o comboio não seja desmembrado !

O vão da ponte é de 72 metros , os pilares estão guarnecidos com defensas para impedir maiores danos num eventual acidente ! O comboio tem menos de 20 metros de largura o que implica uma folga de mais de 20 metros para cada lado ! É muito improvável a ocorrência de um acidente nestas circunstâncias !
 Taí concluo que é uma persseguiçâo criminosa e se estivéssemos num pais sério, tal feito seria ensejo para a corregedoria federal !

Meu desabafo está feito !
Somel Serip .

Comentário Efetuado

Quem serão "Eles" ?

"Eles" estão espalhados no mundo , explorando os territórios alheios e tirando o sangue do povo local, para manterem a porcaria de país que consideram por Pátria .

"Eles", embora nasçam num país qualquer e se registrem como naturais de lá, o seus corações pertencem à Pátria Ancestral !
Daí "Eles" se sentirem bem em explorar a terra natal e mandar à sua pátria, o muito que lhes sobra .

São "Eles" que provocam a desarmonia mundial, pois assim, a sua filosofia prevalece fortalecida ! A União faz a força ! Terra de cego, quem tem um olho é o Rei !

Na idade medieval, a produção de um castelo poderia ser trocada pela produção de um outro castelo, "Eles" então, iniciaram as intrigas envolvendo os senhores feudais para assim interromperem o mercado de trocas . Quando atingiram o seu objetivo, passaram a possuir o monopólio do comércio medieval (comprando num castelo e vendendo noutro) visando sempre ganhar de maneira fácil sobre o que foi produzido, pelos outros "povos", com sangue e suor !


O nosso Criador nunca aprova uma situação de atrito em nome dele !

Ele é Amor, Harmonia e Perfeição !
Ele está presente em toda religião, que considere o que ele realmente é .
Qualquer guerra, portanto, nunca poderá ser denominada de Guerra Santa !

Abraços à todos !
Somel Serip.

domingo, 11 de janeiro de 2009

Cópia sobre a Jarina ( marfim vegetal da Amazônia )

Jarina: o marfim das biojóias da Amazônia
Marcondes Lima da Costa
CG/UFPa e Pesquisador CNPq
E-mail: mlc@ufpa.br
Suyanne Flávia Santos Rodrigues
CG/UFPa e EN/UFPa
E-mail: suyanneflavia@hotmail.com
Helmut Hohn
Autônomo
E-mail: hhohn@zipmail.com.br
Resumo
A palmeira jarina (Phytelephas macrocarpa) é endêmica
da Amazônia, onde se desenvolve sobre antigas
planícies de inundação, cujos sedimentos são constituídos
por quartzo, minerais de argila 2:1 e feldspatos, constituindo
solos férteis e pouco ácidos a neutros. As sementes
dessa palmeira são incluídas entre as gemas orgânicas
raras. Devido a sua cor e brilho, as sementes são
comparadas ao marfim animal, apesar da baixa dureza e
baixa densidade, sendo empregadas na manufatura de
biojóias e artefatos. Esses produtos são bem aceitos comercialmente
devido às sementes serem susceptíveis a
mudança de coloração e outros melhoramentos. Infelizmente,
as jóias não apresentam vida longa, pois as sementes
podem sofrer ataque de microorganismos entre 5
e 10 anos. Se houver uma política adequada para cadeia
produtiva das sementes de jarina, a mesma poderá se
tornar de grande importância para o desenvolvimento da
região Amazônica, ao criar novas oportunidades de trabalho
e agregação de valor aos produtos. No entanto fazse
necessário um especial cuidado para evitar exploração
inadequada das sementes para assegurar a preservação
da espécie.
Palavras-chave: Jarina, Amazônia, marfim-vegetal, sementes,
gema orgânica, Phytelephas macrocarpa, biojóias.
368 REM: R. Esc. Minas, Ouro Preto, 59(4): 367-371, out. dez. 2006
Jarina: o marfim das biojóias da Amazônia
1. Introdução
Jarina é o nome da semente da
palmeira de igual nome, a Phytelephas
macrocarpa (Phyto = planta e elephas =
elefante), encontrada no sudoeste e oeste
da região amazônica, estendendo-se
além das fronteiras brasileiras. Essa semente,
em especial a sua amêndoa, que
há muito tempo chama atenção por suas
propriedades físicas similares às do marfim,
é conhecida há mais de um século
como marfim vegetal, sendo, hoje, considerada
como substituto à altura do marfim
animal. Sobre a produção na Amazônia
ainda no início do século XX assim
reporta Andrade (1937): “O Juruá já attingiu
a exportação de 100.000 kgs,
annualmente. Se o transporte fosse fácil,
a exportação poderia subir a mais
de 1.000.000 kgs. O rio Envira, sobretudo,
é privilegiado em matéria de jarina”.
A jarina, era na época, empregada
no fabrico de botões, tendo sido substituída
pelo plástico logo após seu surgimento.
No Brasil a última fábrica fechou
nos anos 70. A jarina em países vizinhos,
como Peru, Colômbia e Equador, é empregada
na produção de artefatos diversos
e bijuterias, geralmente, bem aceitas
no mercado internacional, por conta do
fino acabamento. A jarina sempre foi apreciada
pelos povos dos barrancos de rios,
devido a sua palha resistente utilizada
em coberturas, seus frutos como alimento
e, quando secos, para o fabrico de
carvão, sendo aplicado nos interiores de
panelas de barro para lubrificá-los, um
precursor do teflon. A palmeira também
fornece palmito.
Nos anos 80, a jarina começou a
ressurgir através de trabalhos de artistas
isolados, no Acre, Amazonas e Rondônia,
a bom exemplo o ourives César
Farias, em Rio Branco, Acre, que começa
a procurar nas sementes e madeiras a
combinação ideal com os metais nobres,
principalmente com a prata. Nos anos
90, o primeiro autor do presente artigo,
participou do programa de implantação
do Pólo Joalheiro do Pará e, após ter organizado
cursos de especialização em
gemologia na UFPa, onde as sementes
em bijuterias, incluindo a jarina, foram
temas de monografias, apresentou e ressaltou
o seu potencial gemológico e apelo
ecológico. Contudo a jarina precisou
de apenas 8 anos para sair de sua aparente
dormência de pouca importância
(a semente apresenta elevada dormência
natural) e retomar o seu lugar, agora
um produto mais nobre, como uma gema
orgânica.
2. A palmeira
A palmeira jarina apresenta a seguinte
taxonomia: Família: Palmae;
Subfamília: Phytelephantoidae; Gênero:
Phytelephas; Espécie: P. macrocarpa
Ruiz & Pavon (Henderson et al., 1995).
Ressalta-se que, tanto o gênero, quanto
à espécie, têm os seguintes sinônimos:
Elephantusia macrocarpa Ruiz &
Pavon, Willd, Phytelephas microcarpa
Ruiz & Pavon, Yarina microcarpa
Ruiz & Pavon, O. F. Cook (Ferreira, 2006).
A Phytelephas macrocarpa tem,
nas terras do Estado do Acre, as seguintes
características botânicas e ecológicas
(Ferreira, 2006):
“Estipe: solitário ou raramente
cespitoso; subterrâneo ou aéreo com até
1,5 m de comprimento levemente inclinado,
com cicatrizes foliares salientes,
coberto com bainhas de folhas persistentes
no ápice, às vezes, envolvidas por
fibras finas. Folhas: 14 a 17; pecíolo e
bainha com 1,4 m de comprimento, a
bainha fibrosa; raque 4,19 a 4,2 de
comprimento; 57 ou 58 pinas lineares
em cada lado da folha, mais ou menos
arranjadas e dispostas em um mesmo
plano. Inflorescência: fortemente dimorfa;
inflorescência estaminada e pistilada
intrafoliar. Flores estaminadas sésseis,
densamente arranjadas na raque;
sépalas e pétalas reduzidas em obscuras
bractéolas. Frutos: com até 9 cm de
comprimento, formando uma massa
mais ou menos globosa no ápice da raque;
4 a 6 vezes angulosos- obdeltóide,
com a superfície apical lenhosa. Sementes:
várias por fruto” .
A jarina (Figura 1.a) é uma palmeira
de porte pequeno, alcançando até 5 metros
de altura, acaule ou de caule curto,
tronco grosso com numerosas raízes
adventícias e flores de forte perfume (Ferreira,
2004). Produz cachos (Figura 1.b)
de frutos drupáceos (Figura 1.c), que
contêm até 9 sementes (Figura 1.d). O
crescimento da palmeira jarina é lento e
uma árvore que apresente tronco de dois
metros de altura tem pelo menos de 35 a
40 anos de idade. É comum encontrar
indivíduos com mais de 100 anos de idade.
É possível que os exemplares da Praça
Plácido de Castro, em Rio Branco, no
Estado do Acre, com tronco acima de
1 m tenham mais de 30 anos. Segundo
Ferreira (2004), a germinação ocorre em 3
ou 4 anos, no entanto, em cultivo de
quintal, na cidade de Rio Branco, Acre,
observou-se que a semente germinou em
um ano. A frutificação ocorre a partir do
sétimo ano (Ferreira, 2004), porém, no experimento
de quintal mencionado anteriormente,
esta ocorreu a partir do quinto
ano.
2.1 Distribuição geográfica e
ambiente geológico
A palmeira jarina é endêmica do
sudoeste e oeste da Amazônia. No Brasil
é encontrada nos Estados de Rondônia,
Acre e Amazonas e, também, na Bolívia,
Peru, Colômbia e no Equador, chegando
à América Central (Figura 2). Em
terras brasileiras, a jarina desenvolve-se
espontaneamente nas planícies de inundação,
principalmente nas mais antigas,
nos vales dos rios de água branca, destacando-
se os rios Purus, Juruá e seus
afluentes. Formam verdadeiro gregarismo,
conhecido como jarinal. As planícies
são formadas por sedimentos siltoargilosos,
constituídos, além de quartzo,
por minerais de argila 2:1 (esmectitas,
illitas e micas brancas) e feldspatos. São
sedimentos ricos em SiO2 e Al2O3, contendo,
ainda, valores significativos de
K2O, MgO e CaO. São pouco ácidos e
relativamente férteis (Almeida, 2005).
Também se desenvolvem ao longo de
encostas de vales úmidos. São solos do
tipo argissolos e cambissolos eutróficos.
A jarina é uma palmeira umbrófila e, nessas
planícies, está associada com o mulateiro,
Calycolphylum spruceanum, típico
desse ambiente, e bambus, entre outras
espécies arbóreas e de palmae.
REM: R. Esc. Minas, Ouro Preto, 59(4): 367-371, out. dez. 2006 369
Marcondes Lima da Costa et al.
3. A semente e a
amêndoa: o marfim
vegetal
A palmeira frutifica uma vez ao ano,
desenvolvendo de 6 a 8 cachos, que atingem
o tamanho de uma cabeça humana
adulta e chegam a pesar 10 kg. Os cachos
de jarina tipo Acre são formados
por até 9 frutos ou ouriços, os quais contêm
em média 3 a 4 sementes. A semente
tem um tegumento (casca) composto por
três camadas, sendo a mais interior fortemente
fixada à amêndoa e, em geral,
preservada pelos artesãos, pois permite
desenvolver belos trabalhos. A semente
com casca tem forma triangulóide, com
as três faces angulosas-obdeltóides,
com superfície apical abaulada. A amêndoa
guarda essa morfologia, embora tenda
a apresentar um maior arredondamento.
O núcleo normalmente é oco. O comprimento
varia de 48,5 a 80 mm, a largura
maior de 43 a 87,7 mm e a menor de 38,7 a
83 mm. A massa oscila entre 10 e 20 g,
normalmente de 14 a 18 g, e a perda de
massa por desidratação é de 1 a 4,5 %.
Quando sem casca, as sementes pesam
de 10 a 14 g. A perda de massa por desidratação
não causa danos, como retração
e fissuramento, na amêndoa.
Figura 1 - (a) Palmeira jarina localizada na Praça Plácido de Castro no centro de Rio Branco, Acre; (b) Cacho de frutos da palmeira
jarina; (c) Frutos da palmeira jarina; (d) Sementes da palmeira jarina ainda com a casca mais externa.
(a) (b)
(c)
(d)
Figura 2 - Distribuição geográfica (área
cinza-escura) da palmeira jarina
(Phytelephas macrocarpa) na América do
Sul: Peru, Bolívia e Brasil (Acre, Amazonas
e Rondônia). A área pontilhada indica a
ocorrência mais restrita, zona da borda
da cordilheira andina e com características
distintas daquelas encontradas no Brasil.
Modificado de Henderson et al. (1995).
Na jarina, o embrião ou amêndoa
ocupa, praticamente, todo o interior da
semente, que é um albúmen (endosperma)
córneo, de constituição hemicelulose
(polímero de pentoses), geralmente
encontrada na terceira camada celular do
endosperma. A cavidade central é irregular,
ligeiramente trapezoedróide (Figura
3.a). Essa retração fica restrita a parte
interior da amêndoa. A massa da semente
madura (endosperma) é de cor branca
com brilho característico muito semelhante
ao marfim obtido de animais. A
amêndoa é conhecida, internacionalmente,
como ivory nut (inglês), tagua nut ou
tagua (em áreas de influência norte-americanas),
corozo (em áreas de influência
britânicas), Steinnuss (alemão), binroji
(japonês) e coquilla, nuez de tagua ou
yarina (espanhol).
3.1 Características físicas e
químicas
A amêndoa tem a cor branca marfínica,
leitosa, o brilho sedoso do marfim,
a dureza mediana (2,5 na escala de
Mohs), igual índice de refração (1,54),
densidade (1,43), no entanto mais baixa,
quando comparada ao marfim de origem
animal, não quebradiça, mas sensível ao
calor e a certos fungos e insetos, principalmente
a partir da cavidade central. Ao
contrário do marfim animal deixa-se tingir
facilmente. É formada de celulose (um
carboidrato muito resistente, C6H10O5),
segundo Leite (1993). É amorfa, enquanto
o marfim animal é constituído por fosfatos
e carbonatos de cálcio e magnésio,
parcialmente cristalinos. Fluoresce levemente
em tom azul-violáceo (Leite,1993).
370 REM: R. Esc. Minas, Ouro Preto, 59(4): 367-371, out. dez. 2006
Jarina: o marfim das biojóias da Amazônia
A amêndoa é formada por finas camadas
concêntricas (Figura 3.a) interrompidas
apenas na região de influência do
hilo. São camadas submilimétricas (Figura
3.b), alternando quase maciças com
fibras, mais espessas. No todo, a amêndoa
é fibro-radial e as fibras são perfeitamente
delineáveis em imagens de MEV.
Embora a amêndoa seja amorfa à difração
de raios X, apresenta cristalitos de
aluminossilicatos de Ca-K identificados
por MEV/SED. A semente, no geral, tem
SiO2 como o principal componente inorgânico,
com vestígios de P (Tabela 1).
4. Beneficiamento e
principais produtos
A coleta é feita na mata, no período
de janeiro a junho, tanto do chão ou pela
retirada dos cachos. O beneficiamento
consiste de secagem da semente ao sol
ou mesmo em estufa. Em seguida, faz-se
o lixamento para remoção da casca interna,
conforme o desejo do cliente, e, posteriormente,
o polimento.
Da mesma forma, como muitos minerais-
gemas e gemas orgânicas, a amêndoa
de jarina, já incluída como gema orgânica,
deixa-se modificar, principalmente,
em sua coloração, através de tingimento
com corantes sintéticos e naturais
(Farias, 2005), de cozimento e/ou
imersão em óleos e através da ação térmica,
como pirógrafo e aquecimento, e,
ainda, através de amadurecimento controlado
e envelhecimento, graças a sua
microporosidade. As tonalidades obtidas
não mascaram a natureza marfínica
da jarina e têm tido grande aceitação do
público consumidor. Para o uso em biojóias,
além dos melhoramentos citados
anteriormente, normalmente as sementes
são furadas e também são formatadas
em fatias (slabs), cascalho e canutilhos
ou tubinhos.
A amêndoa da jarina tem encontrado
ampla aplicação em biojóias, miniesculturas
e adereços em geral (Figura 4),
sendo a mais expressiva, atualmente, as
biojóias (colares, pulseiras, brincos e
anéis). Ela é combinada com outras sementes
como açaí, paxiúba e paxiubinha,
Tabela 1 - Resultados de análises químicas (% em peso) efetuadas em semente de
jarina. As análises químicas foram efetuadas por via úmida (gravimetria, EDTA e
espectrocolorimetria) nos laboratórios do Centro de Geociências/UFPA.
Figura 3 - (a) Interior de uma amêndoa de jarina mostrando as camadas concêntricas
e com feições fibro-radiais; (b) Detalhe das camadas concêntricas e fibro-radiais.
Imagem obtida com microscópio óptico.
(a) (b)
madeiras e, mais recentemente, com prata
e ouro (Farias, 2005). A combinação
com minerais tem tido sucesso, mesmo
sabendo da sobrevida mais curta da semente,
variando entre 5 e 10 anos, em
relação à sobrevida do mineral, que pode
atingir milhões de anos. No Equador e
em outros países vizinhos e da América
Central, a jarina é empregada, principalmente,
em miniesculturas, retratando animais
da fauna regional. São trabalhos
com grande aceitação no mercado internacional.
No Brasil, as biojóias estão
sendo produzidas, principalmente, nos
Estados do Pará (Pólo Joalheiro), Amazonas
(ofertada em shopping centers e
no aeroporto internacional) e Acre, onde
o mercado, nos últimos anos, vem se desenvolvendo
rapidamente.
5. Conclusões
A jarina deve ser vista como uma
gema orgânica, genuinamente da região
Amazônica, estendendo-se além das
fronteiras brasileiras. Seria rara, como são
as gemas inorgânicas e mesmo orgânicas,
mas tão-somente por ser apenas típica
de uma única região, o sudoeste da
Amazônia, a sua única “jazida”. No entanto,
a jarina pode ser cultivada, correspondendo
no mundo de gemas minerais
como uma “gema sintetizada”.
Suas jóias são bonitas e com preços
acessíveis, mas, infelizmente, não têm
vida longa.
A natureza endêmica da jarina mostra
sua forte relação com as planícies de
inundação de rios de água branca do
sudoeste da Amazônia (Estados do Acre
e Amazonas), as quais são formadas por
sedimentos fluviais imaturos e férteis.
A cadeia produtiva é grande e a
agregação de valor é enorme, pois uma
semente coletada sai no campo ao custo
de R$ 0,02 e um pequeno chaveiro entalhado
em uma única semente é comercializado,
em Rio Branco, a R$ 17,00, ou
seja, um fator de agregação de valor superior
a 500 vezes.
A jarina é, provavelmente, a semente
mais nobre da Amazônia para uso em
biojóias. Sua exploração se enquadra na
política de desenvolvimento sustentável,
entra como um substituto adequado
REM: R. Esc. Minas, Ouro Preto, 59(4): 367-371, out. dez. 2006 371
Marcondes Lima da Costa et al.
ao marfim animal, podendo vir a coibir o
comércio desses materiais. No entanto a
exploração em larga escala da semente
da jarina, sem um acompanhamento de
manejo e mesmo de cultivo, pode trazer
danos incalculáveis à reprodução e continuidade
dos jarinais, cujo ambiente
geológico é muito efêmero, restrito e frágil.
Uma política de incentivos para o
desenvolvimento de novos produtos, de
conservação (longevidade) da jarina, e
de combinação desta com pedras e gemas,
poderá criar uma cadeia produtiva
de alta qualidade e grande diferencial
humano e de design, criando e projetando
uma verdadeira atividade nobre na
Amazônia.
6. Agradecimentos
Ao Basa pelo primeiro apoio financeiro,
a Florestar (Família Profetto), a
Comuflor, a NaturArte de Socorro Freias
e a César Farias.
7. Referências
bibliográficas
ALMEIDA, H. D. F. Mineralogia,
geoquímica, fertilidade e origem
dos sedimentos de praia (Barra em
Pontal) das bacias dos rios Purus e
Juruá no estado do Acre. Belém:
Centro de Geociências/ Universidade
Federal do Pará, 2005.153p.
(Dissertação de Mestrado).
ANDRADE, O. Amazônia, esboço
histórico, geographia physica,
geographia humana e ethnographia
do rio Juruá. Maceió: Off. Graph. Da
Casa Ramalho, 1937. 160p.
FARIAS, C. A Peleja do Zé Jarina e
técnicas de produção de biojóias
em sementes da Amazônia. Rio
Branco: Fundação Elias Mansour,
2005. 43p.
FERREIRA, M. G. R. Jarina, o marfim
vegetal. Internet: http : //
www.cpafro.embrapa.br/ embrapa /
Artigos/jarina.html, 2004. 1p.
Figura 4- (a) Sementes de jarina tingidas em diferentes tonalidades e organizadas
segundo a bandeira do estado do Acre. Oficina Florestar em Rio Branco, Acre; (b) Miniesculturas
executadas em sementes de jarina tipo Acre (Phytelephas macrocarpa),
produzidas pela Florestar e disponíveis em sua loja no Mira Shopping em Rio Branco,
Acre; (c) Colar formado pela combinação de sementes de jarina, em diversas formas e,
ainda, como pingente do mesmo colar, com outras sementes da Amazônia. Casa do
Artesão em Rio Branco, Acre; (d) Biojóias formadas pela combinação de sementes de
jarina tingidas com outras sementes da Amazônia, loja Florestar em Rio Branco, Acre.
(a) (b)
(c)
(d)
FERREIRA, E. L. Manual das palmeiras do Acre, Brasil. Rio Branco: Instituto
Nacional Pesquisas/ Universidade Federal do Acre, 2006. 212p.
HENDERSON. A., GALENO. G., BERNAL, R. Field guide to the palms of the Americas,
3° ed. New Jercey: Princeton University Press, 1995. 236 a 238p. 352p.
LEITE, W. M. Marfim vegetal (Jarina). São Paulo: IBGM, 1993 (Nota Técnica).
Artigo recebido em 16/05/2006 e aprovado em 29/11/2006.

sábado, 10 de janeiro de 2009

Comentário Efetuado

Alex , olá !
Já que tocou no assunto ( adicional de insalubridade ) pegue essa bandeira : isentar o adicional ( de risco , de insalubridade , de perigulosidade etc ) da incidência de imposto de renda !
Pois aí está o assunto ! A Justiça aboliu do imposto de renda o valor que o trabalhador ganha quando vende um terço de suas férias , por considerarem este valor uma forma de idenização (não é mais considerado remuneração, portanto não mais incide o imposto de renda ! ) .
Abraços à todos !
Somel Serip .
somelserip@gmail.com

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Crítica ao Jornal Nacional ( G1 )

Nos últimos trinta anos de serviço, sempre vendi um terço das férias ! É a maneira para minorar os meus problemas financeiros ! Se estivéssemos num país sério, a receita federal calcularia o somatório dos descontos irregulares ocorridos nos últimos cinco anos e devolveria o total através de depósito bancário, do mesmo modo que procede com a devolução do imposto de renda !
Se não pode incidir imposto sobre o valor da venda de um terço das férias, por considerarem que trata-se de indenização e não remuneração, então também não pode incidir imposto sobre o valor recebido como adicional de risco, concordam ?
Peço que argumentem isto com algum graduado do IR que venha ser entrevistado.
Agradecido pela atenção a minha mensagem,
Somel Serip .
somelserip@gmail.com
Honrado Com a Sua Presença‼



Somel Serip


OBRIGADO POR SUA VISITA !
ESPERO QUE VOCÊ TENHA GOSTADO E SEMPRE VOLTE PARA COMPARTILHAR DESTE ESPAÇO E CONSIDERA-LO SEU TAMBÉM !

ABRAÇOS À TODOS !
SOMEL SERIP.

Maravilha ‼

https://s3.amazonaws.com/hires-aviary-prod-us-east-1/k/7904993e4e6b4c4490a86542454fbcd3/16030320/e41af203-3fbd-44bf-9cc2-568f576c21f7.jpg